Dicas para comprar pisos

Trocar o piso da casa ou do escritório faz toda a diferença no ambiente. Renova o visual e deixa qualquer lugar mais bonito, não é mesmo? Como esse material demora muito para ser trocado, ficamos por fora das novidades do mercado. Quem está construindo uma casa agora e não tem muita intimidade com construção também fica perdido na hora da compra do piso.

Vamos dar aqui algumas dicas para facilitar esta compra. Vários itens devem ser observados antes da compra. Veja alguns itens importantes.

Qualidade

Fique atento à empresa que fabrica a cerâmica. Existem muitas empresas que não seguem as etapas corretas de fabricação, como o tempo necessário no forno, assim o piso fica fraco, com qualidade inferior.

Segundo o  ANFACER (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimento), existem muitas marcas no mercado que vendem produtos de baixa qualidade. Mas a boa notícia é que existem 12 empresas que se submetem a pesquisas frequentemente pelo INMETRO, têm o selo nas embalagens e garantem boa qualidade.

Tamanho e espessura

piso

É preciso atenção na hora de trocar o piso

Devido à alta temperatura em que são submetidos (mais de 1000 graus), os pisos podem ter variações no tamanho e espessura. Porém, esta variação tem um limite, ou fica difícil assentar corretamente essa cerâmica no chão. A dimensão nominal, dimensão de fabricação e espessura devem estar presentes na embalagem dos produtos e devem ser levados em consideração na hora da compra.

Outra dica é procurar por produtos retificados. Cerâmicas retificadas têm praticamente o mesmo tamanho, por isso são melhores.

Absorção de água

A taxa de absorção de água deve estar bem clara na embalagem. Você deve escolher cerâmicas com baixa absorção de água, pois são mais resistentes. Os porcelanatos têm baixíssima absorção, chegando a 0%. Para os banheiros, onde a umidade é alta, os porcelanatos são os mais indicados.

PEI

As cerâmicas são classificadas de acordo com a utilização e a resistência. Essa classificação é feita pelo PEI.

  • PEI 1: ambientes residenciais onde geralmente não se anda com sapatos e nem com os pés sujos. Exemplo: banheiros e quartos.
  • PEI 2: ambientes residenciais onde se costuma andar com sapatos. Exemplo: todas as dependências da casa.
  • PEI 3: ambientes residenciais onde pode-se andar com alguma sujeira abrasiva que não seja areia ou similares. Exemplo: todas as dependências residenciais.
  • PEI 4: ambientes residenciais e comerciais com alto tráfego. Exemplo: restaurantes, churrascarias, lojas, bancos, entradas, caminhos preferenciais, vendas e exposições abertas ao público, etc.
  • PEI 5: ambientes residenciais e comerciais com tráfego muito elevado. Exemplo: restaurantes, churrascarias, lanchonetes, lojas, bancos, entradas, corredores, exposições abertas ao público, consultório, etc.
Postado por Fabiana. Veja mais dicas em Materiais de Construção e também com características semelhantes: , , , , , , , , ,
RSS por email

Deixe sua opinião “Dicas para comprar pisos